Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a Busca
Pesquisa e desenvolvimento

O poder do conhecimento

Pesquisas, debates e soluções de aprendizagem criados especialmente para apoiar educadores, gestores educacionais e famílias, considerando os desafios adicionais causados pela pandemia, marcam a produção de conhecimento do Itaú Social em 2020

Detalhe da capa do estudo Retratos da educação no contexto da pandemia do coronavírus, publicado em outubro:  novas séries de pesquisas reuniram diferentes perspectivas sobre desafios e oportunidades que marcaram a educação no ano de 2020

Para desenvolver, implementar e compartilhar tecnologias sociais que contribuam para a melhoria da educação pública brasileira, o Itaú Social articula uma série de iniciativas de produção de conhecimento. Em 2020, várias dessas ações foram adaptadas ao contexto da pandemia, proporcionando a organizações, gestores de educação, educadores e famílias maior apoio diante dos desafios trazidos pela nova realidade. Esse foi o caso da atuação do Polo, ambiente de formação lançado em 2019, que disponibilizou novos cursos, acessados por dezenas de milhares de pessoas ao longo do ano, e priorizou os temas mais relevantes do momento. Uma das formações mais procuradas foi justamente o percurso Redes de Proteção, que trata da importância de fortalecer vínculos e redes de apoio a indivíduos e famílias. A experiência do Itaú Social com as questões relacionadas à gestão municipal da educação por meio do Programa Melhoria da Educação, tornou possível identificar as principais necessidades dos gestores e oferecer conteúdos adequados no percurso Educação na pandemia. Os temas abordam tanto questões da gestão administrativa e financeira quanto da gestão pedagógica, como: alimentação escolar; transporte escolar; prestação de contas; atividades pedagógicas não presenciais; acolhimento da comunidade escolar; retomada das atividades com foco na equidade, entre outras.

Entre as iniciativas imediatas voltadas a compreender e orientar gestores de educação pública durante a crise destacam-se a série de pesquisas sobre educação não presencial na perspectiva de estudantes e suas famílias  e a participação na criação de uma plataforma gratuita, para apoiar as redes públicas de ensino no retorno das atividades presenciais após o período de isolamento social. Outras iniciativas, planejadas antes da pandemia e com potencial de contribuição de mais longo prazo à educação brasileira, foram mantidas e adaptadas para garantir sua realização no novo cenário. Destacam-se, entre elas, os editais de pesquisa aplicada que incentivam a produção acadêmica para reflexão e propostas para os anos finais do ensino fundamental e maior equidade racial na educação básica; realizado em parceria com a Frente de Avaliação CONSED\UNDIME e outras fundações, o Seminário Internacional de Avaliação ampliou a discussão sobre avaliação equitativa nas organizações do terceiro setor; e as parcerias que tornam possíveis as atividades da Cátedra de Educação Básica e da pesquisa global Escolas2030.