Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a Busca
Polo de desenvolvimento educacional
Notícias Institucional

Itaú Social inicia campanha IR Cidadão com colaboradores

Ao destinar parte do seu Imposto de Renda, sem pagar nada a mais por isso, é possível apoiar projetos sociais voltados para crianças e adolescentes


A campanha IR Cidadão, que incentiva a destinação do imposto de renda devido para projetos sociais voltados para os direitos da criança e do adolescente, começou internamente junto aos colaboradores do Itaú. Entre os dias 13 de outubro e 12 de novembro, quem trabalha no banco poderá destinar até 6% do IR para projetos selecionados pelo Itaú Social, de forma segura, em um sistema interno.

A destinação dos 6% é possível para os colaboradores que fazem a declaração completa e tem valor a receber ou a pagar. O contribuinte não paga nada a mais por isso. Já aqueles que fazem declaração simples ou é isento, pode doar R$ 20, mas esse valor não é restituído nem abatido do imposto. O Itaú Social fornece os documentos comprovando a doação e presta apoio aos colaboradores no momento da declaração do IR. 

Em 2020, 1251 colaboradores do Itaú participaram voluntariamente da campanha IR Cidadão, o que resultou em R$ 1.386.482,52 arrecadados. As empresas do Conglomerado Itaú Unibanco Holding S.A. também destinam 1% do imposto de renda devido para o programa. A iniciativa existe há 16 anos. 

Os valores destinados pelos colaboradores e pelo Conglomerado serão transferidos pelo Itaú Social, que acompanha todas as fases do repasse para as instituições, como aplicação dos recursos e prestação de contas. Os projetos são selecionados por meio do Edital FIA (Fundos da Infância e da Adolescência), que repassou R$ 10,74 milhões para iniciativas de 42 municípios do país em 2020. 

Campanha externa

Além da ação com os colaboradores, o Itaú Social promove, todos os anos, no período de declaração para a Receita Federal, uma campanha geral para incentivar os contribuintes a destinarem até 3% do IR para projetos sociais voltados para os direitos da criança e do adolescente. A regra vale para quem faz a declaração no modelo completo, dentro do prazo. 

Confira a entrevista com Fábio Ribas sobre IR e incentivo fiscal

O valor da destinação é repassado para o Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente (FDCA), escolhido pelo contribuinte, dentre as cidades habilitadas. Esses fundos são administrados pelos CMDCAs (Conselhos dos Direitos da Criança e da Adolescência), responsáveis por selecionar as iniciativas/organizações da sociedade civil, que vão realizar os projetos sociais.