Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a Busca

AGÊNCIA DE

Notícias

Institucional

Programa Melhoria da Educação oferece metodologias para apoiar municípios no planejamento para 2022

Plataforma conta com dez tecnologias educacionais que apoiam gestores e equipes técnicas nos desafios enfrentados pelas redes de ensino


As transformações ocorridas durante a pandemia foram definitivas na educação. Além disso, as redes de ensino precisam buscar estratégias para mitigar os impactos das desigualdades. Buscando apoiar as secretarias de educação neste novo contexto, o Itaú Social oferece dez tecnologias educacionais, do programa Melhoria da Educação, para contribuir com planejamento, implementação e monitoramento de políticas educacionais.

Saiba o que é uma tecnologia educacional

As metodologias buscam solucionar problemas identificados a partir de demandas reais dos municípios e territórios. Cada uma delas aborda um aspecto diferente dos desafios do ensino público, como a inclusão de pessoas com deficiência, oferta de oportunidades que promovam a equidade racial, incentivo ao diálogo entre escola e comunidade e criação ou fortalecimento de formação no ensino da Matemática e da Língua Portuguesa.

“Os cenários na educação mudaram muito rapidamente nos últimos dois anos, exigindo dos gestores medidas urgentes. Para 2022, a expectativa é poder se planejar, trazendo consigo os ensinamentos da pandemia para uma educação focada na recomposição das aprendizagens e na redução das desigualdades que foram aprofundadas nesse período”, analisa a gerente de Implementação do Itaú Social, Tatiana Bello.

As tecnologias educacionais são desenvolvidas em parceria com instituições de referência na área da educação. Conheça todas as tecnologias educacionais disponíveis:

  • Formação docente em Língua Portuguesa: busca envolver a comunidade escolar no planejamento de estratégias pedagógicas, além de apoiar o desenvolvimento de uma formação continuada para docentes e estudantes da rede municipal em Língua Portuguesa;
  • Formação em Matemática nos anos iniciais: visa estimular e instrumentalizar a rede para a melhoria da qualidade do ensino da matemática por meio de uma política de formação continuada. O conteúdo permite entrar em contato com metodologias que irão auxiliar as redes e as escolas a operacionalizar e gerir essa estrutura de formação, de modo a obter melhores resultados de aprendizagem dos estudantes;
  • Fortalecimento da relação escola, família e comunidade: tem a proposta de elaborar estratégias de engajamento e mobilização social em torno da educação, estimulando a participação de mães, pais e outros adultos responsáveis pelos estudantes, além da comunidade do entorno, na realidade escolar;
  • Gestão da educação para a equidade racial: durante a jornada, os participantes poderão elaborar diagnósticos sobre a situação de crianças, adolescentes e jovens negros e indígenas e se apropriar de conhecimentos para a implementação de normativas que ampliem o acesso à diversidade étnico-racial. Também contarão com instrumentos de monitoramento e avaliação para identificar as mudanças da sua realidade;
  • Gestão de pessoas e de recursos: busca auxiliar as equipes na superação das dificuldades técnicas para identificar as receitas disponíveis, analisar o custo aluno ano em cada etapa e modalidade oferecida e visualizar a fração da folha de pagamento nestes custos. Além de indicar alternativas possíveis para a otimização da gestão de recursos e para a valorização de profissionais;
  • Gestão do acompanhamento das aprendizagens: busca implementar ações para acompanhamento das aprendizagens dos estudantes que apresentam distorção idade-ano ou outras necessidades durante o processo de aprendizagem visando melhoria do ensino da rede;
  • Gestão e formação de equipes de Educação Infantil: propõe contribuir  na formação dos profissionais que atuam na educação formal de crianças na primeira infância, compreendida na idade de zero a seis anos. Baseia-se nos princípios propostos nos documentos norteadores nacionais para a educação infantil, como as Diretrizes Curriculares Nacionais de 2009 e a BNCC (Base Nacional Comum Curricular) de 2017;
  • Gestão inclusiva: pessoas com deficiência: tem por objetivo a implementação de ações para que todas as crianças, adolescentes e jovens com deficiência em idade escolar sejam matriculados e que tenham a garantia da aprendizagem. Apresenta as dimensões do trabalho de implementação, monitoramento e avaliação, além da formação para técnicos e outros profissionais da educação;
  • Planejamento Estratégico: tem por objetivo auxiliar as equipes das secretarias de educação na elaboração, de forma autônoma, de um Plano Estratégico consistente. Ele deverá ser construído com base em um diagnóstico concreto e em muito diálogo, com mobilização e responsabilização, e, fundamentalmente, com metas possíveis de serem alcançadas no tempo da gestão.

Autodiagnóstico
O programa Melhoria da Educação também disponibiliza o Autodiagnóstico da Rede de Ensino, instrumento disponível para que os gestores avaliem diferentes aspectos da gestão de uma secretaria de educação. A ferramenta foi elaborada com base no Referencial da Qualidade da Gestão da Educação na Rede Municipal, material desenvolvido pelo Itaú Social que identificou as principais ações que contribuem para melhorias educacionais.

Melhoria da Educação
Desenvolvido pelo Itaú Social, o Melhoria da Educação nasceu em 1999, com o propósito de desenvolver ações de formação e qualificação técnica de gestores e gestoras municipais de educação e suas equipes para contribuir com o planejamento, formulação, implementação e acompanhamento da política educacional a fim de garantir o acesso, a permanência e o aprendizado com equidade de crianças e adolescentes. Sua atuação se dá por meio da implementação de tecnologias educacionais, cursos, encontros formativos e assessorias técnicas.

Assine nossa newsletter

Com ela você fica por dentro de oportunidades como cursos, eventos e conhece histórias inspiradoras sobre profissionais da educação, famílias e organizações da sociedade civil.