Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a Busca

AGÊNCIA DE

Notícias

Institucional

Pesquisa recomenda ações para estimular a autonomia de adolescentes em medida socioeducativa

Projeto promoveu rodas de conversas e ações de estímulo à leitura e escrita dos adolescentes internados, além de instalar laboratório para atividades virtuais


A escola EEEM (Escola Estadual de Ensino Médio) Tom Jobim, colégio que fica inserido na unidade de internação de Porto Alegre (RS), recebeu o projeto “Novos significados para alunos dos anos finais do ensino fundamental no contexto da socioeducação de linguagens para autonomia e cidadania”. A iniciativa promoveu ações pedagógicas com os estudantes e listou propostas para promover a autonomia e protagonismo dos adolescentes internados.

O estudo foi um dos 14 contemplados pelo edital “Anos finais do ensino fundamental: adolescências, qualidade e equidade na escola pública”, do Itaú Social em parceria com a Fundação Carlos Chagas. Ele foi realizado pela professora e doutora Cátia de Azevedo Fronza e pela mestra Sabrina Cecília Moraes Bastos.

Confira o sumário executivo da pesquisa

O projeto realizou diálogos e rodas de conversas com os adolescentes em medida socioeducativa na instituição com o propósito de entender o que os levou a evasão escolar e a cometer atos infracionais, além de identificar seus interesses em relação à vida, à escola, aos colegas e às áreas de conhecimento. 

“Identificaram-se representações relativas à escola, às reflexões dos jovens sobre seu contexto pessoal, aos desejos de que a escola fosse um lugar seguro, além de sentidos sobre a escola que ultrapassam seus muros rumo a uma esfera social mais ampla com seus preconceitos e exclusões”, explica o estudo.

No anexo à escola foi construído um laboratório multimodal para realização de atividades com os adolescentes. A estrutura tem a capacidade de receber dez estudantes mais o professor, tendo a disposição notebooks individuais, acesso à internet e demais equipamentos de geração de vídeo e áudio. 

Conheça os 14 projetos apoiados pelo edital Anos Finais 

A iniciativa ainda desenvolveu projetos literários para contribuir com as práticas de leitura, escrita e oralidade dos estudantes. Também promoveu encontros virtuais com educadores e pesquisadores para discutir os formatos de educação para adolescentes em medida socioeducativa.

No encerramento do projeto, as pesquisadoras listaram 18 recomendações para que as escolas de socioeducação e o poder público adotem com o objetivo de qualificar o ensino para os estudantes em medida socioeducativa, além de apontar temas para serem abordados em sala de aula. Confira a lista no fim da página do sumário executivo da pesquisa.

Edital Anos Finais
O edital de pesquisa “Anos finais do ensino fundamental: adolescências, qualidade e equidade na escola pública” tem por objetivo fomentar, apoiar e disseminar pesquisas que apontem recomendações para a construção de soluções e superação dos desafios no período escolar do 6º ao 9º ano, promovendo a interação entre a academia e a realidade escolar. Ao todo, o edital investiu R$ 3,68 milhões no financiamento das iniciativas de pesquisa. 

Veja também o resultado das pesquisas: