Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a Busca
Polo de desenvolvimento educacional
Notícias Institucional

Olimpíada de Língua Portuguesa divulga lista de finalistas com professores de 23 Estados

Os vencedores serão escolhidos por uma comissão julgadora, que anunciará o resultado em evento no dia 10 de dezembro


A Olimpíada de Língua Portuguesa divulgou a lista das professoras e professores classificados para a etapa final. Foram selecionados 16 finalistas em cada uma das categorias Crônica, Artigo de Opinião, Memórias Literárias, Documentário e Poema, totalizando 80 docentes de 23 estados. A celebração dos vencedores ocorrerá no dia 10 de dezembro (sexta-feira), às 18h horas (horário de Brasília), em evento virtual transmitido pelo canal do YouTube do programa Escrevendo o Futuro.

Os trabalhos finalistas serão analisados por uma comissão julgadora formada por especialistas em língua portuguesa, com experiência em trabalhos dessa natureza e familiaridade com o ensino e a prática de leitura e escrita, além de representantes das instituições parceiras, que irão avaliar os trabalhos apresentados. 

Serão escolhidos 20 vencedores nacionais, sendo quatro professores, e suas respectivas turmas, em cada categoria. Entre as premiações estão notebooks para os docentes e tablets para os estudantes. As escolas dos vencedores também receberão acervos de livros para a biblioteca e placas de homenagens.

O concurso integra o Programa Escrevendo o Futuro, desenvolvido pelo Itaú Social com a coordenação técnica do CENPEC. Conta com a parceria do MEC (Ministério da Educação), da Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação), do Consed (Conselho Nacional de Secretários de Educação), da Fundação Roberto Marinho e do Canal Futura.

A edição deste ano recebeu 112.508 inscrições nas cinco categorias do concurso, alcançando 3.877 cidades das cinco regiões do Brasil. Participaram 27.847 escolas e 59.008 docentes. A semifinal mobilizou cerca de 6.500 professoras, professores e suas turmas de estudantes. 

“Neste ano, a Olimpíada deste ano trouxe um novo formato com foco na valorização da prática e do trabalho desenvolvido pelos docentes e no reconhecimento de produções realizadas por todos os alunos de forma coletiva”, comenta a coordenadora de Implementação Regional do Itaú Social, Claudia Petri.

Confira como foram os encontros para seleção dos finalistas de cada categoria e conheça quem são eles: 

Crônica
Entre os dias 13 e 16 de outubro, o encontro virtual com os semifinalistas da categoria Crônica contou com rodas de conversas, mural de troca de mensagem e atividades, entre elas a leitura dos relatos de prática, no qual os docentes tiveram a oportunidade de conversar e se inspirar com os caminhos e estratégias de seus colegas. 

As turmas também assistiram a uma palestra com Bruno de Castro, jornalista e escritor, que foi finalista do Prêmio Jabuti com seu primeiro livro “E, no princípio, ela veio: crônicas de memória e amor” (Moinhos, 2020). Já os professores tiveram um encontro com a escritora e tradutora Carol Bensimon. Autora de romances como “O Clube dos Jardineiros de Fumaça” (Cia da Letras, 2017), vencedor do Prêmio Jabuti, ela também escreve contos, ensaios e crônicas, como as que estão reunidas na obra “Uma Estranha na Cidade” (Dublinense, 2016).

O final do encontro contou com a participação especial de Geni Guimarães, escritora homenageada desta edição. Sua presença se repetiu no encerramento de todas as categorias.

Confira a relação dos finalistas da categoria:

“Nesse mar de letras, os protagonistas somos nós!”
Profª Alessandra Alves Pacífico Campos
Colégio Estadual José Pereira de Faria
Itapuranga (GO)
“Admirável texto novo: aprimorando a linguagem na prática textual”
Profª Carla Micheli Carraro
Col. Est. do Campo Faxinal dos Marmeleiros
Rebouças (PR)
“Um grande desafio”
Profª Daiane de Sá Demuner Baêta
EMEIEF Santo Antônio
Boa Esperança (ES)
“Ressignificação: a metodologia para uma nova realidade”
Profª Dayane da Costa Silva
UEF Deputado Eligio Almeida
Bacabal (MA)
“O desafio escolar em tempos de coronavírus”
Profª Eliane dos Santos Gomes
Centro Educacional Vieira da Silva – Anexo I
Araguanã (MA)
“Aula em casa – conectando vidas, pessoas e lugares”
Prof. Francisco de Assis da Silva Junior
EM José Adelaide de Carvalho
Icó (CE)
“Esse é o mar. Navegue do jeito que der”
Profª Iskaime da Silva Sousa
EMEF Maria Marques de Assis
São Domingos (PB)
“Prática pedagógica reflexiva e a necessidade da busca do novo normal em tempos de pandemia”
Profª Jaqueline Pereira dos Santos
EE Joaquim de Souza Coelho
Manacapuru (AM)
“Nas asas da esperança”
Profª Josefa Maria Taborda do Nascimento Silva
EE Prof. Irineu da Gama Paes
Macapá (AP)
“O cringe pode ser massa!”
Profª Jussara Biazotto
EM Viver e Conhecer
Capinzal (SC)
“Quando o distanciamento é a norma, que nos aproxime o coração”
Profª Lourdes Aparecida Lopes Barbosa de Souza
EE de Lambari
Novo Cruzeiro (MG)
“Sementes da melhor literatura foram plantadas, mesmo em tempos tão difíceis de pandemia”
Profª Marta Freire Moreira
EMEF Manoel de Paula Serrão
Anchieta (ES)
“Tecnologias digitais: uma ponte necessária entre professor e aluno”
Profª Renata Soares Souza Dias
EE Dom Lúcio
Espinosa (MG)
“Um desejo e uma pedra”
Profª Rosana Ribeiro dos Santos
EE Joaquim Francisco de Azevedo
Taipas do Tocantins (TO)
“Um jeito diferente de aprender e ensinar de forma significativa”
Profª Rosileni Muniz da Silva
EE Da Vila Novo Horizonte
Montalvânia (MG)
“A literatura não tem limites, tem asas”
Profª Vanessa Castro de Freitas
EMEF Desembargador Pedro de Queiroz
Beberibe (CE)

Artigo de opinião
Nos dias 19 a 22 de outubro ocorreu o encontro dos semifinalistas da categoria Artigo de Opinião, no qual os estudantes puderam conversar com Vagner de Alencar e Cintia Gomes, jornalistas e cofundadores da Agência Mural de Jornalismo das Periferias. O assunto do diálogo foi sobre a importância de contar histórias de seu bairro e cidade como forma de evidenciar as suas qualidades.

Para os professores, as discussões tiveram como foco a elaboração do Relato de Prática, a narrativa da experiência e a docência em meios aos desafios na educação. Eles também participaram de uma palestra com João Wanderley Geraldi, linguista reconhecido por seus trabalhos sobre ensino de Língua Portuguesa e análise do discurso. Professor aposentado da Unicamp e professor visitante da Universidade do Porto, ele é autor de obras importantes como “O texto na sala de aula: leitura e produção” (ASSOESTE, 1984).

Confira a relação dos finalistas da categoria:

“Com os pés no chão e a mente nos ares”
Profª Carla Barbosa de Sá Leal
E.E. Escola Júlio de Mello
Floresta (PE)
“Um poema em louvor da estrada”
Prof. Gilmar de Oliveira Silva
E.E. Rocha Cavalcanti
União dos Palmares (AL)
“Longe dos olhos e perto do coração”
Profª Lívia de Oliveira Silva
E.E. Prof. José Quintella Cavalcanti
Arapiraca (AL)
“Produção textual: superando o desafio de desenvolver a habilidade de leitura e produção de artigos de opinião em tempos de pandemia”
Prof. Melqui Zedeque Lopes Ribeiro
E.E. Deputado José Medeiros
Paulo Jacinto (AL)
“Escrevivência: tecendo palavras, reverberando trajetórias!”
Profª Patrícia Barreto da Silva Carvalho
IFPE – Campus Garanhuns
Garanhuns (PE)
“A arte do estudo além dos nossos limites”
Profª Débora Ferreira da Silva
E.E. Girassol de Tempo Integral Meira Matos
Aparecida do Rio Negro (TO)
“A incrível arte de opinar”
Profª Jheme Quezia Nunes de Abreu Rodrigues
Col. Agropecuário de Almas
Almas (TO)
“Autoescola da vida: articulistas habilitados”
Prof. Josue Pereira de Lima
E.E. Prof. José Barroso Tostes
Santana (AP)
“No meio do caminho tinha uma pandemia”
Profª Adriana Pin
IFES – Campus São Mateus
São Mateus (ES)
“Lecionar para quem me surpreende…”
Prof. Antônio Augusto Braico Andrade
CEFET- MG – Unidade Belo Horizonte
Belo Horizonte (MG)
“Velhas amigas e uma aventura”
Profª Elaine Pomaro
E.E. Antônio Marin Cruz
Marinópolis (SP)
“Quando o distanciamento é a norma, que nos aproxime o coração”
Profª Lourdes Aparecida Lopes Barbosa de Souza
E.E. de Lambari
Novo Cruzeiro (MG)
“Um jeito diferente de aprender e ensinar de forma significativa”
Profª Rosileni Muniz da Silva
E.E. da Vila Novo Horizonte
Montalvânia (MG)
“Argumentar para a vida: caminhos possíveis”
Profª Shantynett Souza Ferreira Magalhães Alves
E.E. Betânia Tolentino Silveira
Espinosa (MG)
“A descoberta do meu lugar: o desabrochar de uma professora”
Profª Ana Paula Quiquio Wernke
E.E.E.B. Walter Probst
Aurora (SC)
“Vivências reais e os ensinamentos da pandemia”
Profª Vanessa de Melo
Col. Estadual Monte Alverne
Santa Cruz do Sul (RS)

Memórias literárias
No encontro de professoras e professores semifinalistas da categoria Memórias literárias, entre os dias 26 e 29 de outubro, houve a oportunidade de compartilhar suas histórias sobre as experiências, mudanças e desafios enfrentados em seu trabalho neste último ano. 

A palestra desta categoria ficou por conta da escritora Giovana Madalosso, jornalista e autora do romance “Tudo pode ser roubado” (Todavia, 2018), finalista do Prêmio São Paulo de Literatura e do livro de contos “A teta racional” (Grua livros, 2016), finalista do Prêmio Biblioteca Nacional. Já os estudantes contaram com a presença do escritor indígena Kaká Werá Jecupé, que compartilhou um pouco de suas histórias e reflexões sobre memória e ancestralidade.

Confira a relação dos finalistas da categoria:

“Memórias construídas à distância”
Profª Indianara Abreu Holsbach Nogueira
E.M. Advogado Demosthenes Martins
Campo Grande (MS)
“Faço parte destas memórias: da cadeira de estudante à mesa de professor”
Prof. Laércio Ferreira dos Santos
CEF 34 de Ceilândia
Brasília (DF)
“Entre risos e emoção, o que resta são as marcas do tempo!”
Profª Márcia Cristina Fassbinder Zonatto
E.E. Angelina Franciscon Mazutti
Campos de Júlio (MT)
“Relato de prática a necessidade da leitura para a prática da produção textual”
Profª Helayne Gonçalves dos Santos Melo
E.M. Gastão Vieira
São Roberto (MA)
“Tempos remotos são memórias em meio às aulas remotas, hoje.”
Profª Maria de Fátima Sousa Lima
E.M. Presidente Costa e Silva
Senador La Rocque (MA)
“Memórias e laços: tessituras para além do espaço escolar”
Profª Maria Gorette Andrade Silva
EMEIF José Gomes
Lagoa Seca (PB)
“Superando desafios”
Profª Valdinete Maciel Nascimento
EMEF Antônio Pereira da Silva
Timon (MA)
“A docência literária em uma época diferente”
Prof. Edvilson Filho Torres Lima
EMEF Francisco Nunes
Maracanã (PA)
“Acreditar sempre”
Profª Marly Cavalcante Cipriano
E.E. Conrado Pinto Gomes
Eirunepé (AM)
“Na simplicidade das memórias”
Profª Rute da Silva Santos
E.E. PE. Giuliano Moretti
Tocantinópolis (TO)
“Compartilhar memórias, eis o segredo”
Profª Franciene Mendes de Freitas Marques
E.E. Prof.ª Sandra Regina Pires
Barão de Antonina (SP)
“A arte de ensinar o protagonismo”
Profª Ítala Átale Vasconcelos Resende
Colégio Tiradentes PMMG
Bom Despacho (MG)
“Um jeito diferente de aprender e ensinar de forma significativa”
Profª Rosileni Muniz da Silva
E.E. da Vila Novo Horizonte
Montalvânia (MG)
“Meu bem querer”
Profª Shirley Simone Soares
E.M. PE. Ricardo
Riacho dos Machados (MG)
“O lugar onde eu vivo é o lugar de outras pessoas também”
Profª Joelma Inês Casa
EMEF Santa Cruz
Farroupilha (RS)
“Palavras para além do tempo”
Profª Maria Silmara Saqueto Hilgemberg
Colégio Est. Do Campo De Faxinal dos Francos
Rebouças (PR)

Documentário
Dinâmicas e diálogos marcaram o encontro dos semifinalistas da categoria Documentário entre os dias 3 a 6 de novembro. Os estudantes foram convidados a pensar imagens que retratem suas saudades e, em seguida, produziram vídeos curtos mostrando os objetos que representam essas figuras. 

A conversa ficou por conta da Yasmin Thayná, cineasta, pesquisadora, fundadora da Afroflix e curadora da Flup (Festa Literária das Periferias). Ela é diretora dos filmes “Kbela” e “Batalhas e Fartura”, além de apresentadora do Canal Futura.

Já os professores puderam discutir as possibilidades do Relato de Prática e do trabalho com Documentário. Além disso, houve espaço para a troca de vivências e discussão dos desafios no ensino deste gênero, sobretudo no contexto de pandemia e aulas remotas. 

A palestra dos docentes foi com Tammy Weiss e Victor Luiz, do Instituto Querô. Victor Luiz é produtor e diretor audiovisual, e um dos diretores da série “Diz Aí – Extermínio e Enfrentamento da Juventude Negra”, produzido pela Querô Filmes em parceria com o Canal Futura. Já Tammy é coordenadora do Instituto, produtora de projetos audiovisuais e gestora de negócios audiovisuais. Entre suas produções está o longa-metragem “Sócrates”, vencedor de 18 prêmios nacionais e internacionais, incluindo o Spirit Awards, considerado o Oscar do cinema independente.

Confira a relação dos finalistas da categoria:

“No caminho se aprende a caminhar”
Profª Maria Gorete Cogo da Silva
E.E. São Francisco de Assis
Aripuanã (MT)
“Apesar das pedras no caminho, é possível um trabalho pedagógico para todos”
Profª Rozely Martins Costa
CED 416 de Santa Maria
Brasília (DF)
“Despertar”
Profª Ana Carolina Teixeira Bastos
EEEP Rita Aguiar Barbosa
Itapipoca (CE)
“Desafio e superação”
Profª Angela Maria dos Santos Nascimento
E.E. Nossa Senhora da Conceição
Lagoa da Canoa (AL)
“Escola em tempo de pandemia: O desafio do ensino híbrido e a construção da identidade com o local onde vivo”
Prof. Emanoel Lourenço da Silva
EREM Coronel João Francisco
São Vicente Ferrer (PE)
“Produção, câmera e ação”
Profª Eva Soares dos Santos
C.E. Henrique de La Roque
João Lisboa (MA)
“Ué, e eu vou filmar o quê?…”
Prof. Jocenilton Cesário da Costa
E.E. Vicente de Fontes
José da Penha (RN)
“Um roteiro de experiência gravado pela sensibilidade educacional”
Profª Juliana Dantas de Macêdo Nóbrega
E.E. Mons. Amancio Ramalho
Parelhas (RN)
“Abram as câmeras! Aqui também tem Olímpiada”
Profª Mylenna Vieira Cacho
IFRN- Campus São Gonçalo do Amarante
São Gonçalo do Amarante (RN)
“O olhar quilombola de um lugar marisqueiro”
Prof. Waldemar Valença Pereira
Col. Est. Senador Walter Franco
Estância (SE)
“O conhecimento além dos nossos limites”
Profª Cleide Maria Lino
E.E. Girassol de Tempo Integral Meira Matos
Aparecida do Rio Negro (TO)
“Escrevivência de uma professora”
Profª Dinair Rocha de Sousa Teles
E.E. Rezende de Almeida
Itapiratins (TO)
“Não desiste deles não, viu!”
Profª Shantynett Souza Ferreira Magalhães Alves
E.E. Betânia Tolentino Silveira
Espinosa (MG)
“E agora, professor?”
Prof. Vinícius Delfino Silva
IFES- Campus Avançado Viana
Viana (ES)
“Luz, câmera, ação: O lugar onde eu vivo sob o olhar dos meus alunos”
Profª Alexandra Rosa
EEEM Curupaiti
Vale Verde (RS)
“Metodologias ativas: Protagonizando a aprendizagem por meio do gênero documentário”
Profª Marciane Cocchi Dorta
Col. de Aplic.- Uel Prof. José Aloísio Aragão
Londrina (PR)

Poema
O último encontro da semifinal, da categoria Poema, foi repleto de atividades e rodas de conversa. Ocorrido nos dias 9 a 12 de novembro, os estudantes foram desafiados a compor uma estrofe sobre o lugar onde vivem. Logo após, os participantes juntaram seus textos a fim de criar um poema único que mostrasse a origem dos semifinalistas.

A palestra para os estudantes foi de Jarid Arraes, contista, poeta e cordelista. Nascida em Juazeiro do Norte (CE), a autora já publicou mais de 70 títulos em literatura de cordel, dentre eles “Heroínas negras brasileiras em 15 cordéis” e “As lendas de Dandara”. Outros trabalhos da escritora incluem o livro ”Um buraco com meu nome” (2018) e ”Redemoinho em dia quente” (2019).

A atividade dos professores teve como foco explorar os relatos de práticas de seus colegas, proporcionando um momento de troca e de inspiração entre os participantes. Já a palestra foi com Ailton Krenak, ambientalista, filósofo, poeta e escritor brasileiro da etnia indígena Krenak. Nascido na região do Vale do Rio Doce (MG), ele é considerado uma das maiores lideranças do movimento indígena brasileiro. 

Confira a relação dos finalistas da categoria:

“Convit(d)e à poesia”
Profª Mayara Almeida Liberino Tavares da Silva
EC Monjolo
Brasília (DF)
“Música e poesia: Narrativas de pensamentos/reflexões e recriação de novos saberes”
Profª Rosana Maria Lopes
Esc. Municipal Juscelino K. de Oliveira
Cezarina (GO)
“O Eu e o Outro no esconderijo do verso”
Prof. Evandi Lopes Barbosa
Esc. Municipal Manoel Joaquim de Santana
Quixaba (PE)
“Os desafios e encantamento do mundo poético”
Prof. Fernando Barbosa Lira
EMEFM Vicente Nunes Tavares
Emas (PB)
“Leitores e Escritores: Instigados pela persistência e parceria”
Profª Jailza Evangelista Costa
Esc. Estadual Cel. Antônio do Lago
Touros (RN)
“A poesia e o caos”
Profª Julia Lidiane Lima de Amorim Queiroz
Esc. Municipal Padre Cosme
São Miguel (RN)
“Olimpíada das emoções”
Prof. Marcelo Nogueira de Assunção Lefundes
Esc. Municipal Esfinge
Lauro de Freitas (BA)
“Utopia de conhecimentos: Realidade de conquistas da OLP”
Profª Raimunda de Jesus Matos Silva
Esc. Municipal Jefferson Moreira
Esperantinópolis (MA)
“Superação”
Profª Ana Clícia Rodrigues Neves
Esc. Profª Luciney Mello Carneiro
Atalaia do Norte (AM)
“Olimpíada de Língua Portuguesa: uma leitura”
Profª Fatiane Nascimento Januário
Esc. Municipal Indígena Maria Pinto Pereira
Santo Antônio do Içá (AM)
“Na coletividade, constroem-se versos e rimas do meu lugar”
Profª Fernanda Valeska Mendes da Silva
EMEF Profª Cícera Lima do Nascimento – Polo V
Igarapé-Açu (PA)
“Hora da produção: E agora? O que escrever?”
Profª Laudiléia Soares Barbosa Achure
Esc. Municipal Dr. Cesar Belmino Evangelista
Araguaína (TO)
“Vivência enriquecedora”
Prof. Richardson Farias Gonçalves
Esc. Nossa Senhora do Livramento
Barreirinha (AM)
“Em tempos de pandemia”
Profª Maria da Conceição da Costa Sousa
Esc. Municipal José Alves de Oliveira
Santa Cruz de Salinas (MG)
“Nossas motivações e conquistas”
Profª Vanuza do Amaral Predrini
UMEI Jacy Pacheco
Niterói (RJ)
“Chimarreando poesia”
Profª Rosmari Teresinha Dariva Pelin
EMEF Jaguaretê
Erechim (RS)