Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a Busca

AGÊNCIA DE

Notícias

Institucional

Oficina Vivência Literárias seleciona autores para bolsa de criação

Textos finais serão reunidos em uma publicação prevista para ser lançada no primeiro semestre de 2022


Cinco escritores que participaram da oficina Vivências Literárias foram selecionados para receber uma bolsa de R$ 3 mil para criação literária. As obras serão reunidas em uma publicação prevista para ser divulgada no primeiro semestre de 2022 nos sites do Itaú Social e da Balada Literária.

Os selecionados são Elisângela Cristina Siqueira de Melo, Cuiabá (MT); Fabiana Pedroni, de Vila Velha (ES); Kenni Rogers Closs, de Curitiba (PR); Monaliza Caetano Santos, de São Paulo (SP); e Valdelice de Conceição Santos, de São Felix (BA).

Os textos serão desenvolvidos pelos autores, sob a supervisão do escritor pernambucano Marcelino Freire, criador da Balada Literária, evento dedicado à música, literatura, artes e que foi palco para o anúncio dos selecionados.

Ainda estão previstos para ocorrer dois encontros virtuais, abertos ao público, nos quais Freire oferecerá orientações e dicas aos autores selecionados sobre como concluir suas obras. A publicação será composta por ilustrações de artistas de todo o Brasil..

Vivências Literárias
A oficina foi realizada no Polo (ambiente de formação do Itaú Social), entre os meses de setembro e outubro, e teve como objetivo fomentar a escrita criativa sobre o cotidiano dos participantes. Durante a formação, os escritores produziram uma sinopse, acompanhada das seis primeiras laudas da produção literária.

O autor
Marcelino Freire é um dos nomes mais prestigiados da literatura contemporânea. É autor de livros como “Angu de Sangue” e “Contos Negreiros” (premiado com o Jabuti). Em 2004, idealizou e organizou a antologia de microcontos “Os Cem Menores Contos Brasileiros do Século”, assim como participou de várias antologias no Brasil e no exterior. É criador da Balada Literária, que há 15 anos reúne dezenas de escritores nacionais e internacionais.

Confira uma prévia das produções literárias selecionadas pelo Vivências Literárias:


Texto: Anjos apenados, asas e penas

Autor: Elisângela Cristina Siqueira de Melo

Resumo: Um conjunto de quinze contos sobre a experiência com os internos da Fundação CASA. Todas as crianças são anjos? Anjos perfeitos? Sempre? Da primeira respiração ao último suspiro? Nem as palavras são perfeitas, significam muitas coisas. Anjos podem ser doces ou terríveis. Com penas e asas. Símbolo de liberdade? Mas e o preço da (s) pena (s)? Vale a pena? Liberdade e pena se retroalimentam. Por vezes, a pena é fatal. Sem dó ou julgo, seguem histórias de anjos. Para dormir, ou despertar.


Texto: Compactar memórias

Autor: Fabiana Pedroni

Resumo: Na véspera da mudança, ela ainda não sabe como colocar tudo o que guardou em apenas uma caixa. Seu lar tornou-se uma maquete sentimental da cidade. Cada rua, cada bar, cada poste pode ter gerado uma paixão destilada em um papel de bala amassado. As catedrais de lembranças que escondem as paredes e os móveis precisam ser deixadas. Isso parece errado. Vinte e quatro horas para compactar uma vida. Seu amigo a observa de perto e vai aprender que não devemos tentar apagar a memória alheia.


Texto: Quando era mato, tudo

Autor: Kenni Rogers Closs

Resumo: Na noite que deixou o interior, sua mãe tinha perdido um dente. Aquele sorriso ficou inesquecível. Era uma luz em desejo de toda felicidade do mundo e ao mesmo tempo um buraco na escuridão. Foram 600 quilômetros na boleia do caminhão até Curitiba. Uma nova estada, vida que sempre sonhou. Quando era mato, tudo relata a caminhada de um menino que lutou para ser ator, mas que o mundo lhe reservou algo inesperado.


Texto: Me ensina a escrever meu nome

Autor: Monaliza Caetano Santos

Resumo: A partir de um conjunto de 19 contos, divididos em quatro diferentes sessões, conhecemos a história de uma mesma família. As narrativas, em alguns momentos, se voltam para o universo feminino: a primeira menstruação, o convívio com a matriarca e a gravidez. Em outros, alcança a rua e o bairro: a violência policial, o tráfico e os hospitais da cidade. Cada um dos contos pode ser lido separadamente, mas também em conjunto e diálogo com os demais.


Texto: Crenças de Valdinha

Autor: Valdelice de Conceição Santos

Resumo: Esta obra contém três contos que abordam crendices populares através de experiências vividas por Valdinha e sua família. No conto “Bete”, Valdinha vai entender que não pode duvidar dos conselhos dos pais e isso mudará drasticamente a amizade dela com Bete. Em “Arupemba”, ela encontrará uma maneira de burlar seu aspecto físico, baseado em uma crença contada pelo pai. Já em “Caruru”, Valdinha e a família respeitaram uma antiga crença popular que colocava a vida da família em perigo.

Assine nossa newsletter

Com ela você fica por dentro de oportunidades como cursos, eventos e conhece histórias inspiradoras sobre profissionais da educação, famílias e organizações da sociedade civil.