Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a Busca

AGÊNCIA DE

Notícias

Institucional

Ler com uma criança contribui para seu desenvolvimento integral

A prática da mediação de leitura fortalece os vínculos afetivos do adulto com a criança, além de ser uma oportunidade de participar ativamente na educação desde a primeira infância


No próximo sábado, dia 2 de abril, é celebrado o Dia Internacional do Livro Infantil. A data marca a importância da experiência da leitura na infância, pois permite estimular a imaginação e criatividade, além de muitos outros benefícios. É com base nesses aspectos positivos que mães, pais e adultos apresentam, de forma lúdica e criativa, a literatura para a criança.

A mediação de leitura ocorre quando a criança é colocada como sujeito participante da narração, na qual ela interage com o mediador e contribui com o desenvolvimento da história. Já o adulto tem a oportunidade de se conectar com as culturas infantis, permitindo que se aproxime da história junto da criança. 

No município de Cascavel (CE), Gisládia Nascimento conta como foi sua experiência em inserir sua filha de seis anos, Lara Nascimento, no universo literário. “Fiz um cenário, uma plaquinha de papelão escrito ‘cantinho da leitura’, tudo para que fosse um momento especial porque a leitura é algo muito especial”. A escola de Lara recebeu os livros infantis por meio do programa Leia com uma criança, e distribuiu aos familiares dos estudantes com a orientação para que os adultos promovessem um momento de lazer e afeto com a criança a partir da mediação de leitura.

“Quando a criança se depara com o universo da literatura, ela começa a ter acesso a outros mundos que não são do seu dia a dia. Ela desenvolve a empatia, se sensibiliza por causas, começa a se identificar ou se reconhecer no personagem. Tudo isso fará parte da constituição da pessoa, do que ela será no futuro”, explica a coordenadora de Engajamento Social e Leitura do Itaú Social, Dianne Melo.

Confira alguns pontos importantes da mediação de leitura:

  • Mais importante que o lugar de chegada é o percurso que cada um vai fazendo, de acordo com seus interesses, desejos e necessidades. A mediação é uma experiência, não é uma atividade, pois não tem objetivo a ser alcançado nem é passível de ser avaliada;
  • É um momento de encantamento das crianças e dos mediadores com os livros;
  • Tem a criança como protagonista. Ela participa das leituras, escolhe, brinca, cria, recria, comenta ou silencia;
  • É livre. Cabem diferentes interações e leituras;
  • É imprevisível. Nunca uma mediação será igual a outra;
  • Precisa de continuidade e frequência. A formação de leitores é um processo que começa desde a barriga da mãe e segue até a vida adulta.

A jornalista Nathalia Bini, de Belo Horizonte (MG), conta que, desde cedo, procura despertar o interesse pela leitura junto aos filhos Miguel, de dez anos, e Pedro, sete. “Quando estou com eles, sempre vou dando dicas, perguntando, explicando o que está nas entrelinhas. Gosto de perguntar se eles estão achando legal, se fariam diferente. Uma forma de estimular a imaginação. Além da questão afetiva, pois estamos ali dando atenção, às crianças ganham também na interpretação da história, deixando-a mais rica”.

Para quem se inspirou nas histórias das famílias de Gisládia e Nathalia e quer saber mais sobre mediação de leitura, é possível conferir gratuitamente o curso Infâncias e Leituras, disponível no ambiente de formação Polo. 

Podcast Leia com uma criança
A mediação de leitura é um dos principais temas do  podcast Leia com uma criança. Os episódios apresentam conversas, leituras conjuntas e trocas de experiências voltadas para crianças, famílias, mediadores de leitura e educadores. Estão disponíveis nas principais plataformas de áudio: SpotifyGoogle podcastsApple podcastsDeezerAmazon Music, além do site do Itaú Social.

Assine nossa newsletter

Com ela você fica por dentro de oportunidades como cursos, eventos e conhece histórias inspiradoras sobre profissionais da educação, famílias e organizações da sociedade civil.