Ir para o conteúdo Ir para o menu
Polo de desenvolvimento educacional

Seminário internacional discutiu possibilidades para a educação integral

No dia 14 de novembro, a Fundação Itaú Social realizou em São Paulo o Seminário Internacional “Educação + Participação = Educação Integral”. Cerca de 600 pessoas estiveram presentes durante o evento, que teve como objetivo contribuir para a reflexão em torno dos desafios e oportunidades da educação integral como forma efetiva de melhorar os processos de aprendizagem para os alunos brasileiros.

Durante o período da manhã um painel com o tema Panorama e Tendências da Educação Integral, concentrou depoimentos da mexicana Diana Toledo Figueroa, analista de Políticas Educacionais da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE); da americana Jessica Donner, diretora executiva da organização Every Hour Counts, da Lucia Couto, ex-secretária de Educação das prefeituras de Diadema (SP) e Embu das Artes (SP) e membro da diretoria da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime-SP) e com comentários da Isabel Santana, superintendente da Fundação Itaú Social e da Anna Helena Altenfelder, superintendente do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec).

À tarde, o público se dividiu entre três mesas, com temáticas específicas, que aconteceram simultaneamente. O tema Articulação entre ONG e Escola Pública pelo Desenvolvimento Integral de Crianças e Adolescentes foi debatido por Marcelo Mazzoli, coordenador da área de educação e parcerias no escritório do Unicef do Brasil, Eliane Ferreira Silva, diretora de escola pública, graduada em pedagogia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro e Isa Guará, professora de pós-graduação da Universidade Anhanguera de São Paulo (Unian). Em outra mesa, Antonio Sérgio Gonçalves, educador e psicanalista, pós-graduado em psicologia e educação pela USP e Romualdo Luiz Portela de Oliveira, professor titular do Departamento de Administração Escolar e Economia da Educação, da Faculdade de Educação da USP discutiram a Proposta Pedagógica: Conteúdos, Espaços e Tempos na Perspectiva da Educação Integral. Em outra mesa, o canadense Adam Fletcher, especialista em engajamento comunitário juvenil e fundador do Freechild Project e Marcus Faustini, fundador do Projeto Reperiferia e da Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu (RJ) e coordenador da Agência de Redes para Juventude e o Festival Hometheatre exploraram o tema As Novas Formas de Produção Juvenil na Perspectiva da Educação Integral.

Leia a cobertura completa do evento no site Educação + Participação.