Ir para o conteúdo Ir para o menu
Polo de desenvolvimento educacional

ONGs finalistas do FIES participam de formação em SP

Nos dias 13 e 14 de março, representantes dos 35 programas finalistas no processo seletivo do Fundo Itaú Excelência Social 2010 (FIES) se reuniram em São Paulo para participar da oficina Avaliação de Projetos Sociais. A iniciativa faz parte do programa de investimento social do Banco Itaú, que destina 50% da taxa de administração do Fundo Itaú Excelência Social, para projetos na área de educação e promove ações para aprimorar a gestão das ONGs que os realizam. Em 2010, o FIES destinou R$3,3 milhões para promover apoio técnico e financeiro, sendo que cada organização receberá R$ 120 mil.

Na primeira parte da oficina, Andreia Saul, diretora executiva do Ficas, ONG responsável pelo apoio técnico aos projetos selecionados pelo FIES, ministrou a palestra Indicadores e Pistas, na qual apresentou uma metodologia que permite identificar pistas para verificar resultados dos projetos e, a partir dessas informações, construir indicadores. O método foi desenvolvido pela professora Dra. Thereza Penna Firme da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)e adaptado pelo FICAS.

“Para avaliar os projetos de forma mais consistente, é preciso internalizar nas organizações a cultura de registrar os acontecimentos antes, durante e depois de sua execução. Somente desta maneira, a organização terá evidências mais detalhadas do que é preciso aprimorar, mudar e replanejar nos projetos”, ressaltou Andreia.

À tarde, os gestores das organizações foram divididos por categorias de atuação (Educação Infantil, Educação Ambiental e Educação para o Trabalho) e puderam participar da oficina Indicadores por categoria, por meio da qual aprenderam a construir os indicadores para os seus programas. Além disso, os gestores puderam tirar dúvidas sobre o processo de seleção do FIES e os critérios adotados pelos avaliadores durante as visitas técnicas, que também auxiliaram na seleção das 35 organizações finalistas.

Para o coordenador do programa Agentes Empreendedores da Agricultura Familiar do Serviço de Tecnologia Alternativa (SERTA) de Pernambuco – ONG beneficiada pelo FIES nesta edição – Paulo Santana, as oficinas realizadas pelo Ficas foram fundamentais para a ONG reavaliar as diretrizes de seus projetos. “Por mais que uma organização esteja consolidada, ela precisa ter em mente que para manter a qualidade de seus projetos é preciso reorganizar os objetivos e as metas sempre. Se não tivéssemos passado pelas oficinas, certamente não teríamos dado início ao replanejamento dos programas do SERTA”, afirmou. O programa Agentes Empreendedores da Agricultura Familiar é voltado para a formação de jovens empreendedores na área de permacultura, para que, junto com os familiares, transformem as pequenas propriedades rurais onde moram em programas de geração de renda.

A coordenadora do projeto Olho D’Água da Associação Civil Crescer no Campo de Espírito Santo do Pinhal (SP), Roberta Piozzi,também destacou as oficinas e as visitas do FICAS como essenciais para que a ONG pudesse aperfeiçoar os projetos. “Com as pistas conseguimos adequar melhor o objetivo da organização e, consequentemente, estabelecer metas mais claras e possíveis de alcançar. A conquista do FIES já é um reflexo de como os nossos projetos estão atendendo melhor a comunidade“, pontuou. O projeto Olho D’Água é voltado para 172 crianças e adolescentes, de 6 a 16 anos, da zona rural de Espírito Santo do Pinhal em situação de vulnerabilidade socioeconômica. Tem como objetivo estimular ações de preservação ambiental por meio da realização de passeios ecológicos, produções artísticas e a criação de uma horta.