Ir para o conteúdo Ir para o menu
Polo de desenvolvimento educacional

IV Encontro Temático de Avaliação Econômica debateu gestão educacional

A Fundação Itaú Social e o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) realizaram, no dia 12 de setembro, em São Paulo, o IV Encontro temático de Políticas Educacionais com o tema “Gestão Educacional”. Participaram do evento coordenadores do Prêmio Gestão Escolar, que reconhece projetos inovadores e gestores competentes na educação básica do ensino público brasileiro. As atividades e reflexões propostas se desenvolveram a partir de evidências de estudos e avaliações econômicas – nacionais e internacionais – apresentadas pelo coordenador do Centro de Políticas Públicas (CPP) do Insper, Naercio Menezes Filho, economista e consultor do Itaú Social. As evidências que fundamentaram o debate apontam cinco linhas de ação que tiveram impacto na aprendizagem dos alunos: feedback para professores; maior engajamento dos pais com a escola e o cotidiano escolar dos filhos; uso pedagógico dos dados de avaliações; formação em serviço com tutorias intensivas; maior foco em metas acadêmicas e expectativas dos docentes em relação ao comportamento e disciplina dos alunos.

Klinger Marcos Alves, secretário de educação do estado do Espírito Santo, participou do evento e apontou relações entre os dados apresentados e a realidade local com que trabalha. De acordo com o secretário, é preciso trabalhar mais a autonomia da escola, saber gerenciar recursos e reestruturar a matriz curricular, principalmente no Ensino Médio. “Precisamos formar cidadãos. O Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) não mede isso, o que acaba tendo um efeito rebote no ensino público. Precisamos pensar como incluir esse ponto, já que a escola é cobrada por isso”, disse Alves.

Para a especialista em educação da Fundação Itaú Social, Tatiana Bello Djrdjrjan, os estudos mostram que, com uma gestão estratégica, é possível avançar os índices de aprendizagem. “Saber usar os resultados das avaliações externas e diagnósticas, por exemplo, é um dos caminhos para aprimorar as intervenções escolares. Isso não é uma tarefa fácil, demanda formação”, explicou.

Os gestores debateram também sobre a importância do uso da avaliação para aprimorar os projetos e os desafios para conseguir formar profissionais nesse campo e implementar a metodologia na área pública. A coordenadora do Prêmio Gestão Escolar pelo Rio Grande do Sul, Daniela Burgie, contribuiu com a discussão ao mostrar o Sistema Estadual de Avaliação Participativa (SEAP/RS), criado pela secretaria de educação de seu estado para promover uma autoavaliação da rede por todos os atores da educação (professores, alunos, pais, funcionários e gestores). “Todo o processo ocorre de forma participativa e os dados são usados no planejamento escolar do ano seguinte”, afirmou Burgie.

A Fundação Itaú Social realiza avaliações de impacto e retorno econômico de seus programas. Nesse sentido, Isabel Santana, superintendente da organização, ressaltou a boa parceria com o Consed. “Juntamos a missão de apoiar a área pública, por meio da nossa metodologia e experiência no setor de avaliação econômica, com o objetivo do Consed, que busca oferecer espaços de reflexão sobre evidências na área de gestão educacional”, disse.