Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a Busca
Polo de desenvolvimento educacional

Itaú Social sistematiza metodologia de educação integral para jovens

A Fundação Itaú Social sistematizou a metodologia do programa Jovens Urbanos, transformando-a em um guia interativo para gestores públicos, de empresas, institutos e ONGs interessados em replicar a experiência do programa, conforme as características regionais dos seus territórios.

De acordo com o vice-presidente da Fundação Itaú Social, Antonio Matias, o objetivo da ação é inspirar a construção de modelos de educação integral para jovens que estejam articulados com políticas públicas educacionais, de proteção social e trabalho. “Com a sistematização dessa tecnologia, esperamos que empresas, institutos e órgãos do poder público criem novas oportunidades de aprendizagem para a juventude por meio da educação integral”.

No primeiro kit, “Parceiros Multiplicadores”, os executores do programa encontram o passo-a-passo para a implantação do Jovens Urbanos, que passa desde o planejamento das atividades ao desenvolvimento de ferramentas de apoio e controle do programa. Além disso, são sugeridas maneiras de compor as equipes, de realizar a prospecção e seleção dos territórios impactados pela iniciativa, assim como dicas para fazer a divulgação, seleção e formação técnica dos profissionais que atuarão em conjunto com os jovens beneficiados pelo programa.

No segundo kit, “Equipe Rede”, são apresentadas técnicas para realizar a expansão do programa, por meio da prospecção de novos parceiros, monitoramento do trabalho dos profissionais envolvidos e avaliação dos resultados do programa.

Além desses guias, interessados em conhecer o conceito do Programa podem acessar a publicação “Jovens Urbanos – Marcos Conceituais e Metodológicos”, também disponibilizada gratuitamente.

Neste ano, a tecnologia social do programa Jovens Urbanos continuará a ser desenvolvida na cidade de Pouso Alegre (MG), no município de Serra (ES) e na capital paulista, nos territórios Brasilândia e Capão Redondo. Desde a sua criação, 7.775 jovens foram beneficiados.

Impactos Positivos – O Programa Jovens Urbanos passou por uma avaliação de impacto, que indicou elevação estimada de 77% na renda pessoal e 49% da empregabilidade dos participantes, comparativamente aos níveis de renda e emprego de jovens não participantes. O programa teve impacto positivo sobre o hábito de leitura dos jovens, pois aumentou 7,77 o número de vezes que os participantes leram jornais, revistas e livros em relação aos que não participaram. Eles também aumentaram sua presença em cursos profissionalizantes e de capacitação profissional, assim como em movimentos sociais e ONGs. Acesse aqui o Relatório de Avaliação Econômica do Programa Jovens Urbanos, no qual estão detalhados os resultados encontrados e a metodologia utilizada.