Ir para o conteúdo Ir para o menu
Polo de desenvolvimento educacional

Grande Final apresenta vencedores da 11ª edição do Prêmio Itaú-Unicef

O trabalho conjunto de organizações sociais, profissionais de educação e estudantes para a melhoria da educação brasileira esteve sob os holofotes na noite de 26 de novembro – e culminou em uma grande celebração. A Fundação Itaú-Social e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) trouxeram para a cerimônia de premiação nacional, no Auditório Ibirapuera, em São Paulo, os projetos de educação integral vencedores da 11ª edição do Prêmio Itaú-Unicef para serem apresentados para um público de cerca de 500 pessoas.

“Desde 1995, temos o privilégio de reconhecer e fortalecer a articulação de atividades diversificadas e relevantes em diferentes espaços, capazes de levar novas perspectivas a crianças e adolescentes. Por isso, agradeço a todos os parceiros por esses 20 anos de trabalho conjunto”, disse Antonio Jacinto Matias, vice-presidente da Fundação Itaú Social. Gary Stahl, representante do UNICEF, disse em seu comentário de abertura que os 25 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente e os 20 anos do Prêmio Itaú-Unicef são motivo de grande orgulho para a organização que representa. A presidente do conselho do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), Maria Alice Setúbal, discursou sobre uma das novidades dessa edição do Prêmio. “Premiar conjuntamente as escolas e as organizações sociais foi um passo importante para fomentar a abertura dos portões de ambas e viabilizar projetos mais consistentes e com maior impacto nos territórios de alta vulnerabilidade social.”

Na categoria micro porte, o projeto vencedor foi Aprender Faz Bem, parceria entre a organização social Associação Bem Faz Bem e a Escola Municipal Manoel Coelho, de Campos de Goytacazes (RJ); o projeto vencedor em pequeno porte foi Matéria Rima, da Associação Assistencial e Cultural Manos de Paz e Escola Municipal Sagrado Coração de Jesus, de Diadema (SP); a iniciativa de parceria em médio porte que levou o reconhecimento nacional foi Curumins da Amazônia II: Protagonizando Vidas com Educação e Arte, parceria da Associação Cultural e Artística com a Escola Centro de Educação Tadashi Inomata; o Projeto Morro da Cruz para a Vida foi o vencedor na categoria grande porte, uma parceria entre o Instituto Leonardo Murialdo e a Escola Municipal de Ensino Fundamental Morro da Cruz, de Porto Alegre (RS).

O grande vencedor, com o projeto do ano, foi o Eu, Você e a Escola, Educação que Transforma, da organização da sociedade civil Projeto Caminhando Juntos e da Escola Estadual João Cesar de Oliveira, de Diamantina (MG).
Cada categoria teve uma menção honrosa a projetos não contemplados com a premiação, mas que mereceram destaque entre as ações regionais. O evento contou com condução do apresentador de televisão Marcelo Tas e com apresentações de dança e musicais diversas, entre elas da cantora Daniela Mercury, que é embaixadora da UNICEF.