Ir para o conteúdo Ir para o menu
Polo de desenvolvimento educacional

Fundação Itaú Social participa do 9º Congresso GIFE 2016

Entre os dias 30 de março e 01 de abril, a Fundação Itaú Social participou do 9º Congresso GIFE, realizado na sede da Fecomércio, em São Paulo. O evento teve como tema “o sentido público do investimento social privado”. Além de contar com um estande durante o evento, a Fundação Itaú Social também teve participação em duas mesas da programação aberta ao público.

No dia 31 de março, a mesa de debate “Voluntariado corporativo: formas inovadoras de engajamento” foi composta por Claudia Sintoni, coordenadora de Mobilização Social da Fundação Itaú Social; Ana Paula Bonibani, gerente de Gestão de Programas do Instituto Votorantim; e Elen Portero de Paula, diretora executiva da United Way Brasil.

A United Way Brasil apresentou pesquisa sobre o que motiva os funcionários das empresas a desenvolverem programas de voluntariado e as melhores práticas de engajamento. O Instituto Votorantim demonstrou a campanha “Desafio Voluntário”, que lançou mão de um game em plataforma virtual para criar uma “competição saudável” e engajar o maior número possível dos seus 44 mil funcionários. Já a Fundação Itaú Social destacou a importância das ações de monitoramento e avaliação, apresentando resultados da sondagem realizada pela equipe de Mobilização Social sobre voluntariado corporativo no Brasil. “Há uma grande carência de estudos que avaliam políticas e programas da área”, afirma Claudia. “Este é um instrumento essencial para dar maior clareza às ações e possibilidade de avaliar os impactos”, apontou.

No dia 1º de abril, o tema do debate do qual a Fundação Itaú Social participou foi “Como fundações podem dar suporte efetivo para escolas públicas?”. A mesa teve mediação do jornalista Paulo Saldaña. Foram convidados a apresentar suas experiências Tatiana Djrdjrjan, da Fundação Itaú Social; Ernesto Faria, da Fundação Lemann; e Mirela Carvalho, do Instituto Unibanco.

Tatiana apresentou os Programas Tutoria e Coordenadores de Pais, realizados pela área de Gestão Educacional da Fundação Itaú Social. O primeiro é um processo de “formação em serviço”, onde o tutor (em geral um profissional com mais experiência) reconhece e valoriza as competências do tutorado, ao mesmo tempo em que agrega novos conhecimentos ao seu contexto de trabalho. Já o Coordenadores de Pais promove o desenvolvimento de estratégias para aproximação entre famílias e escola. “Os programas têm como foco, respectivamente, fortalecer a relação secretaria-escola, apoiando o professor; e família-escola, criando um ambiente que favoreça a sua aproximação. A participação das equipes técnicas e dos gestores das secretarias é fundamental para fortalecer este elo”, destaca.

Em nome da Fundação Lemann, Ernesto apresentou a plataforma digital de apoio à aprendizagem QEdu, um portal aberto e gratuito que reúne informações públicas sobre a qualidade do aprendizado em cada escola, município e estado do Brasil. São disponibilizados dados da Prova Brasil, do Censo Escolar, do Índice de Desenvolvimento da Escola Básica (Ideb) e do Enem. O objetivo da plataforma é apresentar os dados da proficiência dos alunos em língua portuguesa, leitura e matemática para auxiliar gestores, diretores e professores a realizar análises de cenário e tomar decisões em favor da educação. Por fim, Mirela apresentou detalhes sobre o programa Jovem de Futuro, do Instituto Unibanco, que atua junto às escolas públicas de Ensino Médio, instaurando a gestão de resultados nas secretarias e nas unidades de ensino. O foco do projeto é a promoção do planejamento estratégico na gestão de resultados e das melhores rotinas e processos que podem impactar avanços das redes em relação ao Ideb.