Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a Busca
Polo de desenvolvimento educacional
Notícias Institucional

Ciclo de Debates discute a importância das artes e dos esportes no desenvolvimento de crianças e adolescentes


Seminário reuniu especialistas das universidades de Cambridge, British Columbia e USP

 

Ciclo de Debates em Gestão Educacional reuniu especialistas nacionais e internacionais. Foto: Camila Kinker

 

Evento que já está na agenda dos gestores públicos de educação de todo o Brasil desde 2011, a edição deste ano do Ciclo de Debates em Gestão Educacional teve como tema a importância das artes, dos esportes e dos jogos no desenvolvimento integral de crianças e adolescentes. Realizado pelo Itaú Social, ocorreu em 11 de dezembro, na cidade de São Paulo (SP).

Com a apresentação de professores e pesquisadores das universidades de Cambridge (Inglaterra), British Columbia (Canadá) e USP (Universidade de São Paulo), o evento reuniu gestores públicos de diversas partes do país e destacou como as organizações da sociedade civil estão atuando em rede em prol da educação integral.

 

No site do evento, é possível assistir a todas as palestras na íntegra.

 

Convidada internacional, a neurocientista Adele Diamond, da Universidade de British Columbia (Canadá), explicou as funções executivas do cérebro. “Temo que as atividades necessárias para o sucesso das crianças estão sendo tiradas dos currículos escolares. Algumas habilidades mais importantes na vida e na escola são a capacidade de manter o foco e o autocontrole, de lidar com ideias e dados mentalmente, de resolver os problemas de forma criativa, de usar o acaso a seu favor e de ajustar as demandas às prioridades. Tudo isso são funções executivas”, descreveu. 

Segundo a neurocientista, as habilidades das funções executivas exigem planejamento, perseverança e flexibilidade cognitiva para reagir a dificuldades inesperadas. Elas podem ser trabalhadas por meio de diversas técnicas, como teatro, dança, esportes, música e/ou brincadeiras. “Essas habilidades não são menos importantes do que saber a tabuada ou o número de planetas no sistema solar”, considera.

O educador e pesquisador Lino de Macedo, membro da Cátedra de Educação Básica do Itaú Social e do Instituto de Estudos Avançados da USP, falou sobre o valor dos jogos como recurso de observação e promoção dos processos de aprendizagem. “Do ponto de vista da antropologia, os jogos e as brincadeiras são as formas mais antigas e de valor simbólico incomensurável para o ser humano. Por meio deles, o ser humano encontra sentido para uma vida cuja sobrevivência, há milhares de anos, era dramática, e até hoje ainda é para muitos de nós que não têm a oportunidade de aprendizagem e educação.”

 

Flávio Comim é autor da metanálise Artes e Esportes, divulgada no Ciclo de Debates. Foto: Camila Kinker

 

Pesquisa sobre artes e esportes

Durante o Ciclo de Debates, o economista e professor da Universidade de Cambridge (Inglaterra), Flavio Comim, apresentou a metanálise “Artes e Esportes: relação com o desenvolvimento humano integral”, realizada a partir de mapeamento de todos os artigos publicados nos periódicos especializados em educação da instituição, nos últimos dez anos. O trabalho examinou e sistematizou o que a literatura contemporânea especializada em educação tem dito sobre a relação entre artes, esportes e desenvolvimento humano integral, com foco em crianças do ensino fundamental.

 

Consulte a metanálise “Artes e Esportes: relação com o desenvolvimento humano integral”.

 

“As artes são importantes nelas mesmas, é o que dá significado, é a visão do ser humano. Ao fazer arte, você melhora outras competências básicas. No futuro, onde máquinas vão substituir pessoas com processos de automação, apenas aquelas características tipicamente humanas vão ficar. Características que robôs não podem fazer, como liderança, trabalhar em equipe, sentir o outro, imaginar o outro, alteridade. A arte traz o maior potencial de todos, a imaginação”, destacou o professor, que também ministra aulas na Universidade Ramon Llull, em Barcelona (Espanha).

Comim reforçou que a educação física deve oferecer modalidades esportivas diversas, além daquelas que estimulam apenas a competição. O pesquisador explicou como os esportes podem favorecer outras disciplinas. Como exemplo, citou a construção de grade curricular em que a educação física acontece no horário anterior à aula de matemática. “As atividades físicas ajudam a manter o nível de dopamina no cérebro e, consequentemente, a concentração, auxiliando na melhoria do desempenho das crianças nessa matéria”.

As mesas do Ciclo de Debates tiveram a moderação da superintendente do Itaú Social, Angela Dannemann; da gerente de Pesquisa e Desenvolvimento, Patrícia Mota Guedes; e da coordenadora de Formação, Claudia Sintoni.

 

Professor Lino de Macedo e a neurocientista Adele Diamond participaram de seminários nas cidades de Aquiraz (CE), São Luís (MA) e Várzea Grande (MT). Foto: Camila de Almeida

 

Conexão com o programa Redes de Territórios Educativos

Antes da realização do Ciclo de Debates em São Paulo, Adele Diamond e Lino de Macedo também participaram de seminários nas cidades onde ocorre o programa Redes de Territórios Educativos, promovido pelo Itaú Social em parceria com o Cieds. Organizados pelas redes locais, os encontros ocorreram em São Luís (MA), Aquiraz (CE) e Várzea Grande (MT), e também discutiram a importância das artes e dos esportes no desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, entre outros temas.

No Ciclo de Debates, em São Paulo  houve um painel dedicado ao programa Redes de Territórios Educativos e à experiência dos seminários, com a apresentação das representantes de cada território: Lina Machado (Aquiraz – CE), Eliane Feitosa (São Luís – MA), Tânia Regina de Matos (Várzea Grande – MT) e Maria Ivone Paes da Veiga (Cuiabá – MT). Também participaram dessa conversa Adele Diamond eo Lino de Macedo.