Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a Busca
Polo de desenvolvimento educacional
Notícias Institucional

Bahia inicia formação continuada para 6,7 mil profissionais da educação


Por meio do Melhoria da Educação, Itaú Social disponibilizará especialistas e formadores para a cadeira formativa, além de apoiar o monitoramento das ações e a avaliação dos resultados

 

Cerca de 6,7 mil profissionais das redes de ensino estadual e municipais da Bahia, entre equipes técnicas, diretores escolares e coordenadores pedagógicos, participarão, a partir de março, do plano de Formação Continuada Territorial. O foco serão os anos finais do Ensino Fundamental (6º ao 9º).

A iniciativa é fruto de parceria inédita entre Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC), por meio do Instituto Anísio Teixeira (IAT), órgão da SEC responsável pela formação continuada, e Itaú Social, com o apoio da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), União dos Municípios da Bahia (UPB), universidades estaduais e Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB).

Por meio do Melhoria da Educação, o Itaú Social disponibilizará consultores especialistas e formadores de equipe técnica, apoiará o monitoramento das ações e a avaliação de resultados.

O plano de Formação Continuada Territorial realizará formações em cadeia, com o objetivo de atingir, no período de três anos, os 27 Territórios de Identidade, como são chamadas as unidades regionais da SEC. Para isso, neste primeiro ano estão programados momentos formativos com: 1) formadores de equipes técnicas; 2) equipes técnicas dos Núcleos Territoriais de Educação e das Secretarias Municipais de Educação; 3) formadores de dupla gestora; 4) duplas gestoras das escolas estaduais e municipais que atendam aos Anos Finais do Ensino Fundamental.

Os conteúdos são divididos por eixos: avaliação, gestão educacional, acompanhamento pedagógico, formação, apoio pedagógico e currículo. Ao final do processo, o percurso será sistematizado em uma tecnologia educacional que possibilite a disseminação da experiência para outros estados.

Com o propósito de subsidiar o processo de formação e mensurar seus resultados no médio e longo prazo, o plano ainda prevê avaliar o desempenho dos estudantes, os dados relacionados à aprovação, reprovação e abandono, a prática dos diretores e de coordenadores pedagógicos e a qualidade do Regime de Colaboração Estado-Município.

Nos dias 6 e 7 de março acontece o primeiro encontro de formação do Plano, na sede do IAT, com programação voltada para formadores de equipes técnicas e de dupla gestora.

 

Cooperação Técnica

A proposta de Formação Continuada Territorial foi apresentada em 14 de fevereiro, durante encontro na SEC. Na ocasião, o secretário de Educação da Bahia, Jerônimo Rodrigues, e a superintendente do Itaú Social, Angela Dannemann, assinaram um Acordo de Cooperação Técnica, oficializando a parceria.

“Esta é a fotografia mais clara do regime de colaboração. O arranjo é fruto de uma construção das nossas equipes com os parceiros. Juntos vamos pensar nas metas e produtos para fortalecer a aprendizagem no estado”, disse o secretário. Para ele, os estudantes do 6º ao 9º ano precisam de uma atenção especial e, por isso, é preciso fomentar a formação dos profissionais da educação.

A superintendente do Itaú Social, Angela Dannemann, pontuou que a iniciativa é inovadora. “O plano contará com uma governança engajada e competente, reunindo órgãos representativos das diversas áreas envolvidas no processo de formação, que zelarão pela coerência, pelo diálogo constante entre os envolvidos e pela qualidade das formações”. Destacou também que os anos finais do Ensino Fundamental é uma etapa “preciosa” e que a união de todos produzirá bons resultados ao longo do processo.

A coordenadora regional de Implementação do Itaú Social, Claudia Petri, explicou que o plano permitirá o fortalecimento de uma cultura de formação continuada entre governo estadual e municípios. “O papel da governança é ainda mais importante quando se pensa na escala que o processo de formação irá tomar, na extensão territorial e na diversidade baiana”, ressaltou.