Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a Busca
Polo de desenvolvimento educacional

Avaliação de projetos sociais em foco

Finalistas do FIES participam de oficina dos 35 programas finalistas no processo seletivo do Fundo Itaú Excelência Social 2009 (FIES) se reuniram em São Paulo, nos dias 14 e 15 de março, para participar da oficina “Avaliação de Projetos Sociais”.

A iniciativa faz parte da formação prevista pelo FIES e tem como meta tornar mais consistentes as avaliações que as organizações realizam de seus projetos, contribuindo para o aprimoramento de sua gestão. O encontro também objetiva a formação de uma rede de colaboração e troca de experiências entre ONGs de diferentes estados do País.

Esta é a segunda oficina que o FIES oferece às instituições sobre a importância da avaliação como ferramenta de gestão. A primeira aconteceu no mesmo dia em que elas receberam a visita técnica do FICAS, uma organização que atua, entre outras frentes, com formação em gestão, e presta consultoria no processo seletivo. Com o apoio da Fundação Itaú Social e coordenação técnica do FICAS, a seleção dos programas é realizada anualmente, no segundo semestre, e as inscrições vêm de todas as regiões brasileiras.

Além do apoio técnico, 19 das ONGs finalistas recebem apoio financeiro para investir em seus programas, em 2010. O total do investimento do FIES neste ano é de R$3,3 milhões, sendo que os programas selecionados recebem entre R$100 mil e R$ 150 mil. O restante do dinheiro destina-se a suporte técnico, monitoramento e formação dos gestores. Desde 2005, o FIES já apoiou 77 ONGs de todo o país, investindo mais de R$ 12 milhões.

Oficina de avaliação

Inicialmente, todas as organizações tiveram espaço para uma breve apresentação de suas instituições e dos programas inscritos no FIES.

Na primeira parte foram trabalhados os conceitos e a construção de indicadores, por meio da identificação de pistas que permitem verificar resultados. O método foi desenvolvido pela professora Dra. Thereza Penna Firme da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e adaptado pelo FICAS.

Na sequência, os participantes foram divididos por categorias de atuação (Educação Infantil, Educação Ambiental e Educação para o Trabalho). A novidade para esta edição foi a construção de indicadores para cada categoria, que permitirão focar as avaliações em aspectos comuns relevantes em cada uma. “Construir indicadores comuns que atendam às necessidades e sejam representativos para a categoria é um grande desafio. Afinal, as ONGs reunidas têm perfis bem distintos umas das outras. Mas os olhares devem convergir para as aprendizagens específicas que desejam verificar”, pontua Márcia Quintino, coordenadora de projetos da Fundação Itaú Social. Para ela, medir os resultados a partir de indicadores definidos coletivamente também contribuirá para o fortalecimento das categorias.

Apesar dos avanços notados na quantidade de organizações que fazem avaliação de seus projetos, falta qualificação, sendo que “muitas delas realizam de forma intuitiva, sem critérios objetivos”, afirma Andreia Saul, diretora executiva do FICAS. “Buscamos mostrar que as organizações têm um papel estratégico nas transformações sociais. Mas, para que isso ocorra é preciso mostrar os resultados dos trabalhos de forma clara e consistente”, completa.

O depoimento de Douglas Campos de Oliveira Silva, coordenador da ONG Associação Acorde de Embu das Artes – SP, uma das 35 finalistas do FIES 2009, reafirma essa percepção. “Nós já fazíamos avaliação de nossos projetos, mas percebemos que é preciso que ela seja fruto de um processo de reflexão coletiva”.

Para finalizar, as 19 ONGs que receberão o aporte financeiro se reuniram para orientação sobre o cronograma de repasses, entrega de relatórios e ações de apoio técnico. À noite, as organizações se reuniram no Itaú Cultural, em São Paulo, para um evento de homenagem a todos os finalistas, que se destacaram entre os 1149 programas inscritos em 2009.