Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a Busca
Polo de desenvolvimento educacional

Avaliação de Programas Socioeducacionais: como enfocar e pôr em prática – uma alternativa naturalística

Obra de Thereza Penna Firme, Vathsala lyengar Stone e Juan Antonio Tijiboy é um conjunto de oito cadernos que explica o conceito da avaliação, como planejar e colocar em prática as atividades de campo e ensina como avaliar de forma profissional os resultados.


Como saber em que medida um projeto socioeducacional está conseguindo fazer a diferença para o público atendido? É por meio da avaliação que se mede a relevância e o mérito das ações desenvolvidas nestas iniciativas. Para quem não tem familiaridade com o tema, parece algo distante e complicado, mas três autores pioneiros na área desenvolveram um método para tornar o processo avaliativo mais humanizado e acessível para quem está no dia a dia dos programas. 

O método, baseado na abordagem naturalística, foi transformado em livro, ou melhor, na série de sete cadernos intitulada “Avaliação de Programas Socioeducacionais: como enfocar e pôr em prática — uma alternativa naturalística”. As vozes desta narrativa são a brasileira Thereza Penna Firme, a indiana Vathsala lyengar Stone e o salvadorenho, naturalizado brasileiro, Juan Antonio Tijiboy.

O ponto de partida é 1986, com um pedido do UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância) para que o trio avaliasse, de forma humanizada, projetos voltados a crianças em situação de rua. A chegada, 2021, ano em que a pandemia de Covid-19 acentua as desigualdades em todo o mundo. 

Acesse o livro


O livro estará disponível por tempo limitado e o acesso pode ser realizado a partir do preenchimento do formulário de interesse.

Clique no botão abaixo para preencher o formulário e obter o acesso à publicação.

A obra


A obra é um conjunto de oito cadernos que explica o conceito da avaliação, como planejar e colocar em prática as atividades de campo e ensina como avaliar de forma profissional os resultados. Os cadernos têm como objetivo a capacitação em avaliação na questão fundamental dos direitos e do atendimento a crianças e adolescentes, especialmente aqueles em situação de risco. O conteúdo pode ser aplicado para qualquer programa socioeducacional preocupado com a formação de indivíduos e grupos humanos.

O formato da apresentação dos conteúdos foi uma preocupação, garantido por meio de uma linguagem fácil, que favorece o entendimento da proposta, e de  personagens extraídos de situações reais dos programas socioeducacionais. 

Soma-se a isto elementos lúdicos muito fortes e inovadores para a temática: a metáfora e a ilustração. A avaliação é representada metaforicamente por um espelho, que oferece feedbacks, pistas e recomendações para as equipes de trabalho. As ilustrações de João Henrique Belo Evangelista dão cor e suavidade à narrativa, com a arte auxiliando na tradução de mensagens complexas. 

Em cada caderno, na seção “Em outras palavras”, os autores apresentam os conteúdos de forma mais técnica, fazendo a ligação entre teoria e prática. 

Cada caderno também conta com um resumo da unidade anterior, para facilitar a retomada de aspectos essenciais e garantir a sequência lógica dos conteúdos.

Os livros estão divididos em:

Caderno de apresentação
3) Enxergando o alvo: como questionar?
6) Voltando do campo: construindo a resposta e dando a notícia
1) Abrindo o diálogo: o que significa a avaliação?
4) Rumo ao campo: a travessia
7) Atuando como avaliador profissional: iluminação não tem fim.
2) A conversa continua: que rumo tomar?
5) No campo: coletando as informações

Conheça os autores


Thereza Penna Firme

Carioca, professora, pesquisadora e psicóloga, com especial formação em avaliação. Formada  em magistério primário (Instituto de Educação do Rio de Janeiro) e psicologia clínica (Pontifícia  Universidade Católica do Rio de Janeiro) obteve mestrado em psicologia educacional (University of Wisconsin, EUA), mestrado em educação (Stanford University, EUA) e doutorado (Ph.D) em  educação e psicologia da criança e do adolescente (Stanford University, EUA). Exerceu o  magistério no ensino fundamental , médio e superior por cinquenta anos e tem quarenta anos de experiência nacional e Internacional em avaliação, como consultora e palestrante. Aposentada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é atualmente coordenadora do Centro  de Avaliação da Fundação CESGRANRIO. Foi eleita por unanimidade ganhadora do título de  Educadora do Ano de 2018 pela Academia Brasileira de Educação.

Vathsala Iyengar Stone

Indiana, professora e pesquisadora com dupla formação em ciências físicas e educação. Mestra em educação para as ciências (North Carolina State University, EUA) e doutora (Ph.D) em metodologia de pesquisa e avaliação educacional (Florida State University, EUA). Vem  atuando em avaliação e tecnologia educacional por mais de quarenta anos, uma boa parte enquanto professora universitária no Brasil. Foi consultora em avaliação junto a órgãos nacionais (ABT,  CAPES entre outros), e internacionais (BID, UNICEF entre outros). É autora de trabalhos e publicações em avaliação e áreas afins. Recém aposentada pela Universidade de Nova York em Buffalo onde dirigiu pesquisa voltada para pessoas portadoras de deficiências no Centro de Tecnologia Assistiva.

Juan Antonio Tijiboy

Salvadorenho, naturalizado brasileiro, professor e pesquisador com formação em ciências da educação (Universidad Autónoma de El Salvador), e educação de adultos, na Alemanha. Obteve mestrado e doutorado (Ed.D) em Educação Internacional para o Desenvolvimento (Stanford University, EUA). Com mais de trinta anos de experiência profissional ligada ao planejamento, administração e avaliação, foi consultor junto a órgãos nacionais e internacionais. Inaugurou a televisão educativa em El Salvador.  No Brasil fundou o Núcleo de Estudos de Educação Municipal na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)  dedicando-se ao processo de transformação no meio rural em municípios.  É autor de livros sobre educação. Juan faleceu em 2013.